br(eat)hing

Br(eat)hing #2 - De Três em Três Horas

17:37 Drika RiLi 3 Comments

Leiam o Br(eat)hing #1

Esses últimos dias foram intensos, como prometido aqui, estou realmente me esforçando para melhorar e estabeleci algumas metas. A primeira delas é a de me alimentar de três em três horas. No início eu ainda admito algumas falhas, estou me acostumando aos poucos, mas quero que isso se torne constante (e automático) daqui a algum tempo, de preferência só com alimentos saudáveis.
Estou enfrentando algumas dificuldades para manter o ritmo e conseguir cumprir essa meta, a principal é me sentir cheia facilmente, não estou acostumada a comer "muito", por isso sempre parece que estou exagerando, mesmo sabendo que estou comendo menos do que as outras pessoas. As vezes me sinto um pouco enjoada, como se tivesse comido demais, mas acho que já estou me adaptando aos poucos, a cada dia parece que estou conseguir comer mais, mas não tenho certeza se é impressão ou se realmente consigo me acostumar. 
Ainda assim, vejo as pessoas comendo só pelo prazer e não consigo entender. Não vejo porque comer sem sentir fome, mas estou tentando me acostumar a comer de três em três horas (mesmo que em pouca quantidade, o que é o certo) mesmo que eu não sinta fome, porque eu sei que eu preciso disso. Acredito que, só porque eu não estou sentindo fome "conscientemente", não quer dizer que meu corpo não precise de comida no momento.
No mais, criei duas listas na barra lateral do blog. Em uma consta as metas que desejo alcançar e que falarei daqui a algum tempo, inclusive a "De três em três horas" é a primeira dessa lista. Na outra consta os kg que desejo conseguir, começando com o normal (que é 40 kg) e no fim é 49 kg, que talvez eu não consiga pelo meu tipo físico, mas que ficará na lista para me motivar.
Obrigada a todos que estão me apoiando, as mensagens positivas de vocês me deixam muito feliz e me fazem querer continuar. Agradeço a todos por me ajudarem tanto e espero poder continuar contando com vocês nesse processo. Realmente, muito obrigada.

Foto sem edição para encher linguiça

3 comentários:

Eventos

Festival das Cores

12:21 Drika RiLi 0 Comments


Sábado (01/06) tivemos aqui em Brasília o Festival das Cores, evento que uni música indie, eletrônica e muito pó colorido. O festival é uma releitura da celebração Holi que acontece na Índia e é reproduzido no mundo inteiro.

O evento foi aberto e diurno, o que deu um ótimo efeito com as cores em pó. O festival foi conduzido por ótimos Dj's de indie-Rock de Brasília e do Brasil.


Na minha opinião, o evento foi ótimo, cumpriu mais do que prometeu e não deixou a desejar. Começando pelo local, Minas Tênis Clube, muito conhecido por aqui, foi perfeito para o evento. Aberto, fácil de chegar, estacionamento amplo. O tamanho do espaço reservado foi mais do que suficiente e acredito não ter pecado na segurança.


O pó foi prometido até as cinco, mas eles distribuíram mais do que disseram, o que garantiu mais rodada de cores, o que foi ótimo, pois merecia uma segunda vez. E as cores eram lindas, pintaram pra valer (rezando pelo meu casaco) e eram bem vivas, deram um ótimo visual. Num certo momento, sem querer aspirei o pó (eita) e, como diria vovó, ai se pega no olho... Pois pegou! Mas, como disseram, não ardeu nem deu nenhum problema. Muito bem pensado e-e


Não fiquei até o fim, mas o tempo que fiquei (que foi longo) eu não vi nenhuma briga, só pessoas se divertindo, cada uma do seu jeito, super de boa. Eu que sou pequena e sempre me dou mal em lugares com muita gente não me machuquei, o que sempre acontece. Só no momento que as bolas começaram a voar que eu achei que seria acertada, mas quando fui percebi que a bola era tão frágil que era mais fácil eu furar ela com a unha do que me machucar.


Para não dizer que tudo foi perfeito, teve o preço (que eu vacilei e acabei pagando segundo lote) e o fato de não ter o que comer, só vendia bebida e eu tive que ir embora antes do fim para comer alguma coisa no shopping, mas ok, ninguém prometeu comida mesmo (haha). Mas foi realmente algo agradável, a organização está de parabéns e eu espero por mais eventos assim aqui em Brasília.

0 comentários:

br(eat)hing

Br(eat)hing #1 - O Começo

22:05 Drika RiLi 9 Comments

Se você já passou por algum momento em que a verdade ficou clara de repente, onde você teve um choque que fez você mudar por dentro, você entenderá o que eu tenho a dizer agora. Não foi a primeira vez, mas tive um momento de clareza que fez eu querer mudar toda a minha vida a partir de agora. E essa verdade apareceu não diante dos meus olhos, mas sim abaixo dos meus pés, em forma de um número: 37,8. O 37 é como um fantasma, me assombra sempre que eu estou no meu pior, e ao mesmo tempo sempre faz eu querer mudar e melhorar. Mas dessa vez foi diferente.
Diferente porque me dói perceber que eu estou me afundando e não quero pedir ajuda. Por ver minhas roupas favoritas não parecerem tão boas em mim por estarem grandes. Por perceber como todos ao meu redor parecem tão mais bonitos do que eu, ou por subir uma escada pequena e ficar cansada. E principalmente porque tenho quase 20 anos e hoje peso 37,8.
Hoje é definitivo, eu decidi mudar. Eu sei que isso é uma doença mas eu sei que, com consciência disso, eu posso conseguir ter uma vida normal. Eu sempre fui magra, a minha vida toda eu soube que era mais magra do que o normal, mas nunca foi um problema. Agora é. Se uma pessoa quer emagrecer (de forma nada saudável) pode me perguntar que eu saberei dizer todos os meios de enganar a fome.
Eu não sei bem quando começou, mas com o tempo, fui pegando um pouco de nojo de comer demais. Achava que as pessoas não deveriam comer até se sentirem cheios, e sim para sobreviver e só. Comer nunca me deu prazer, e algumas vezes eu preferia evitar. Eu não tinha certeza de que era uma doença, só achava que eu pensava diferente em relação à comida. Algumas vezes, achava que o dinheiro que eu podia usar para comer seria melhor gasto comprando alguma coisa legal. Depois de algum tempo, cortei o jantar. Eu lanchava alguma coisinha antes de chegar em casa e ficava com isso a noite toda. Passava 16 horas sem comer nada, e dias sem me alimentar perfeitamente.
Mas agora, tudo isso pareceu claro com um único número. Não é a primeira vez que chego a pesar 37 kg, sei até que já estive pior, e tive que me refugiar no Projeto Borboleta para sair da pior fase que já enfrentei. Mas dessa vez eu me sinto tão disposta a mudar por completo, sem mais recaídas tão terríveis, que vim aqui selar um compromisso com todos vocês, meus amigos, que eu sei que vão me apoiar a todos os dias cumprir as minhas metas, de pouquinho em pouquinho até eu voltar ao normal. Dessa vez eu tenho idade e maturidade o suficiente para saber que isso é uma doença, que não tem cura mas tem controle. E é o que eu estou buscando, controle.
Só posso pedir que me ajudem no que, para mim, vai ser uma verdadeira batalha. Aos poucos, vou comendo de três em três horas, coisas saudáveis que vão me ajudando a recuperar a energia que eu perdi, e aos poucos também eu vou aumentando a quantidade. Nada exagerado, que possa me fazer mal, e nada que eu já não saiba por várias dietas de engorda que já tenho anotado mas que nunca sigo. Mas agora é para valer, começa aqui uma nova história, a minha história: Br(eat)hing.



9 comentários: